página principal
 
[10/05/2011] - Encontro entre Dilma e Chávez fica para junho
A presidenta Dilma Rousseff e o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, conversaram por telefone nesta segunda-feira (9) e decidiram remarcar a visita do venezuelano ao Brasil para o final do mês de junho. Em seguida, nos dias 5 e 6 de julho, a presidenta Dilma Rousseff deve visitar Caracas, na Venezuela. A ligação ocorreu após Chávez receber determinação médica para que ficasse em repouso devido a uma lesão no joelho. Ele tinha reunião marcada nesta terça-feira (10), em Brasília, com Dilma. Chávez cancelou também as viagens a Cuba e ao Equador. Nesta terça, o presidente da Venezuela também falou por telefone com o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, Na conversa, Chávez lamentou ter cancelado a visita ao Brasil. A inflamação de Chávez no joelho se agravou ontem (9), depois que ele deu um esbarrão. Com a pancada, o presidente teve um derramamento de líquido, além de uma inflamação, e passou a sentir fortes dores no local. Segundo ele, o joelho apresenta problemas desde o período em que era paraquedista militar e jogava beisebol. O presidente analisa a possibilidade de fazer uma cirurgia. Ele ficará de repouso por tempo indeterminado. Chanceleres se reúnem no Itamaraty O cancelamento da visita do presidente da Venezuela não impediu a reunião do ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, com o chanceler venezuelano, Nicolás Maduro. Patriota e Maduro se reuniram no Itamaraty, onde conversaram sobre temas de interesse comum. A ideia de Hugo Chávez era negociar com a presidenta Dilma a ampliação de parcerias em setores como energia elétrica, agricultura, e ciência e tecnologia, além do comércio bilateral. Apenas em 2010, a relação comercial entre Brasil e Venezuela envolveu US$ 4,6 bilhões. Em geral, o Brasil exporta para a Venezuela alimentos, frango desossado e carne bovina, enquanto os venezuelanos vendem para os brasileiros petróleo e seus derivados.

Beto Cangussu – Advogado, ex-vereador.


 
mais notícias